As preocupações de cada dia

Não há dúvida que a vida não é nada fácil. Também é certo que a gente se preocupa com a saúde, com as finanças pessoais, com nosso relacionamento, com nossos filhos… Essa é a vida. Mas existe uma coisa que a gente precisa entender: para onde vão nossos pensamentos, vão também nossas energias e até mesmo nossas emoções.

O que isso quer dizer? Quer dizer que, quando ocupamos demais nossos pensamentos com as preocupações, gastamos boa parte de nossas energias em situações que, muitas vezes, ainda não aconteceram e que outras tantas que não podemos resolver.

A maneira como reagimos diante dos problemas faz toda a diferença, inclusive no nosso humor. Enquanto estamos com os pensamentos ocupados pelas preocupações, deixamos de agir.

Apesar das preocupações, temos uma vida. Enquanto eu fico preocupado demais, posso estar deixando de cuidar bem do meu filho e isso vai gerar um outro problema amanhã. Enquanto eu gasto todas as minhas energias me preocupando com as contas do próximo mês, deixo de trabalhar de maneira satisfatória e isso pode me levar a perder o emprego amanhã, aumentando ainda mais os meus problemas. Enquanto fico preocupado pensando que, no fim do ano, vou receber a sogra, posso estar brigando com meu parceiro, minha parceira e desgastando meu relacionamento.

Então fica a dica: embora as preocupações sejam normais, procuremos nos concentrar no que temos em nossas mãos hoje.

Gratidão é mais que dizer “obrigado”

Vivemos numa época em que existe a crença que todo o sucesso ou fracasso é responsabilidade de cada pessoa. Se você nunca entrou numa faculdade, a culpa é sua. Se nunca foi promovido, é porque não fez por merecer. Isso faz parte do que chamamos de meritocracia. E, numa sociedade meritocrática, quase sempre acreditamos que tudo que temos, tudo que somos é resultado de nosso esforço. Por conta disso, um sentimento nobre e fundamental é esquecido: a gratidão.

Esquecemos de agradecer as palavras de incentivo, as portas abertas por amigos, parentes e até pessoas com as quais temos pouco envolvimento. Gente, porém, que em várias ocasiões tornou nossa vida mais fácil. Quem nunca recebeu apoio para conseguir um emprego? E quantas vezes foi desse emprego que começamos uma trajetória de sucesso? Quem foi que nos deu a primeira oportunidade? E aquela dica, que parecia boba, mas que mudou a forma de administrarmos a carreira, nosso relacionamento ou organizarmos nosso estudo?

Pois é… A vida não é resultado único de nosso esforço; muitas pessoas nos auxiliam diariamente na construção de nossas conquistas. Lembrar sempre de agradecer quem nos ajuda (ou ajudou) é fundamental. Que a gratidão seja sempre um sentimento alimentado em nosso coração e palavras de gratidão estejam sempre em nossos lábios.

Para quê viver 90 anos?

A expectativa de vida vai chegar a 90 anos para mulheres de alguns países. Acredita-se que isso vai acontecer até 2030. Países como Coreia do Sul, França e Espanha vão estar nessa situação.

Essa parece ser uma excelente notícia. Afinal, as pessoas estão vivendo mais. Incrível, né? Eu sonho viver 120 anos, então acho o máximo a informação desse estudo.

Mas, sejamos sinceros, viver tanto pra quê? Vejam só como temos vivido. Vivemos dias vazios. Vivemos para o trabalho e reféns de uma lógica que rouba o melhor de nós. Quase todo o nosso tempo é dedicado a correr atrás do dinheiro. E o dinheiro corre de nós. Quando olhamos para a vida que levamos, notamos o quanto tem sido vazia, chata, sem graça, sem sentido.

Então para quê viver 80, 90 ou 120 anos?

A vida que vale a pena é a vida que é plenamente vivida. Vida que experimentamos em sua essência. Vida com amor, com graça, leveza e pelo menos um pouco de liberdade. Vida que serve aos outros. Vida que faz rir, que faz chorar… Mas vida que se sente. Vida em que felicidade não é apenas uma expectativa de um por vir que parece nunca chegar.

Tem gente que faz mal pra gente

Conhece alguém assim? Às vezes é aquele cunhado, às vezes é a sogra, às vezes é um colega de trabalho, o patrão

É gente com quem você convive, mas tem a incrível capacidade de mexer com seu humor, te tirar do sério, te fazer perder o sorriso, encher seu coração de amargura.
Infelizmente, tem muita gente assim.

E não vamos nos livrar dessas pessoas. Elas sempre existirão. Você se livra de uma? Outra vai aparecer para te importunar.

Alguns filósofos já diziam que essas pessoas, na verdade, nos fazem bem. Por mais que possam nos aborrecer, contribuem com nossa formação, nos ajudam a ter mais paciência, mais tolerância, mais respeito e amor.

Meio maluco isso? Talvez!

Eu confesso que gostaria de me livrar de algumas pessoas que me fazem mal.
Porém, preciso entender que a vida sempre vai nos fazer esbarrar em pessoas que nos incomodam, que nos entristecem e até nos perseguem. Infelizmente, com muita freqüência, não conseguimos escapar dessas pessoas.

Então o que nos resta é aprender a conviver com elas. E talvez encarar do jeitinho que diziam os sábios gregos: cada pessoa que me faz mal pode, na verdade, me fazer bem. É só eu aprender a transformar o desconforto em crescimento como pessoa, como ser humano. Gente ruim é oportunidade para nos tornar melhores.

É desafiador? É! Muito! Mas a vida segue e não podemos estacionar, não podemos parar de crescer.

Ano novo, vida velha?

ano-novo
Acho que o mais tenho ouvido nesses dias é que o ano de 2016 foi horrível. E penso que é verdade. A lista de coisas ruins é imensa. Não faltam motivos pra dizer que 2016 foi um ano difícil. Mas quando olho pra traz, para o meu ano, para o ano de algumas pessoas queridas, tem uma coisa que percebo nitidamente: as coisas boas que aconteceram conosco foram resultado do nosso esforço, da nossa luta.
Sabe o que isso mostra? Não podemos deixar nossa vida nas mãos dos outros. Com fé, é preciso ir à luta.
O ano de 2016 termina, mas 2017 nada mais é que um ano que sucede 2016. Esse sentimento maravilhoso de acreditar que tudo pode ser melhor, é um sentimento que faz bem para o coração. Mas é também um sentimento que pode ir embora logo nas primeiras semanas de janeiro quando as primeiras notícias ruins aparecerem. Porque elas certamente estarão lá. A política não será muito diferente, os governantes podem até ter outras caras, mas as práticas serão muito semelhantes… As catástrofes naturais continuarão acontecendo, pessoas seguirão sendo injustiçadas… Enfim, esse é o mundo que vivemos.
Então o que eu quero dizer é algo muito simples: 2017 vai ser melhor na medida que nós formos melhores. Sua carreira, seus estudos, seu peso, seu relacionamento… Tudo pode mudar se você mudar.
Eu sempre repito que tem coisas que não controlamos, que não estão sob nosso domínio. Mas isso não pode nos deixar apáticos diante da vida. É fundamental ter noção da realidade, conhecer os limites, mas fazer a nossa parte. O que é responsabilidade minha, é minha… Não é de mais ninguém. Eu preciso fazer, eu preciso lugar, eu preciso melhorar.
Portanto, em 2017, não vamos ficar alienados do mundo, do que estiver acontecendo. Mas vamos também manter a fé e agir de forma melhor, sem deixar pra depois, sem esperar que os outros resolvam os nossos problemas. Vamos viver o melhor que pudermos viver!
Um abraço, um feliz 2017 pra você.